filme vidro

Análise do Filme – Vidro: é possível ser herói ou vilão?

Se você gostou de “Corpo Fechado”, com Bruce Willis, deveria manter toda a atenção em “Vidro”, terceiro filme da sequência.

De 2000, ano de lançamento do primeiro filme, a 2016, ninguém suspeitaria o que estava por vir.

“Fragmentado”, um filme imediatamente avulso, reavivou o enredo de super-humanos, capazes do impossível. Agora, em 2019, os títulos se fundem, colocando a Fera e o Vigilante cara a cara.

Fragmentado: apresentando Kevin Wendell Crumb

Uma obra perturbadora invadiu os cinemas, em 2016: Fragmentado, com o escocês James McAvoy.

Você se lembrará dele em O Procurado, contracenando com a explosiva Angelina Jolie.

Porém, neste precursor de Vidro, James vive o transtorno de Kevin. Kevin Wendell Crumb.

Um rapaz, de infância problemática, sofre todo tipo de abusos até, na vida adulta, desenvolver 24 personalidades diferentes.

A “horda”, como denominam-se essas personalidades, brigam entre trancar ou soltar a “Fera”.

No filme, três estudantes são sequestradas e mantidas em cárcere. Durante a aflição, elas conhecem cada uma das personalidades.

O problema reside na última, visceral e violenta, capaz de coisas inimagináveis para seres humanos comuns.

Na época, ninguém suspeitaria. Contudo Fragmentado foi o elo entre Corpo Fechado e Vidro.

Antes de Vidro: recordando Corpo Fechado

Há quase vinte anos, Bruce Willis e Samuel L. Jackson estrelavam Corpo Fechado. Ali, o segurança David Dunn descobre possuir força e resistência sobre-humanas.

Seu processo de catarse é acompanhado de perto por Elijah, a mente brilhante do mal.

Ao descobrir-se, Dunn também descobre a real natureza de Elijah, seu arqui-inimigo. O gênio das trevas acaba preso. Já David, utilizando-se do anonimato, segue salvando vidas.

O filme nos leva a pensar em como seria conviver com superdotados. O que fazer se usarem seus poderes para fins maléficos? Trata-se de um conflito sempre presente nos HQs.

No entanto, longe de acabar por lá, seus idealizadores queriam mais. Aí nasce a sequência, que vai te deixar com água na boca por novos títulos.

Um pouco sobre Vidro

Na obra mais recente, Kevin W. Crumb segue em sua obsessão por estudantes. Porém, sendo perseguido por David, agora conhecido como O Vigilante, acaba sendo preso.

A horda luta internamente, disposta a aprisionar a Fera. Mas isso nem sequer passa pela cabeça de Elijah.

O conflito principal repousa na tentativa de tratamento mental dos três indivíduos. E o pior: todos confinados no mesmo prédio.

Elijah está disposto a destruir a retórica médica. Quer convencer seus “colegas” de profissão de seus poderes. Que todos aceitem-se superiores aos humanos comuns. Mas a missão não será fácil.

Enquanto a história progride, a Fera ganha mais e mais força. E, à medida que Elijah descobre os segredos da prisão, mais iminente fica a carnificina. Espere por muita tensão imaginando uma luta entre os titãs.

Quem está por trás de Vidro

O elenco você já, basicamente, conhece. McAvoy, L. Jackson e Willis são os protagonistas. Entretanto um grande papel ainda está em segredo. E ele ficou com Sarah Paulson.

Em Vidro, Sarah encarna a Dr. Ellie Staple, obcecada por “curar” os três do que entende ser “delírio de grandeza”.

Como força oposta, Anya Taylor-Joy — de Fragmentado — sabe que há algo mais do que um simples distúrbio. Seu desejo maior é livrar Kevin do domínio da Fera por meio do amor.

Vidro contou com a direção de M. Night Shyamalan, premiado diretor indiano. Shyamalan, confesso admirador de Bruce Willis, dirigiu toda a sequência. Seu curriculum abrilhanta-se, também, com Sexto Sentido.

Apesar de tudo, não foram boas as críticas profissionais a Vidro. Muitos especialistas atacam, dizendo que Shyamalan é campeão em destruir sequências. Será mesmo?

O que o público acha de Vidro

Não sei você, mas gosto muito pouco dos pareceres “profissionais”. Desconfio gravemente de alguém que ganha a vida falando mal do trabalho alheio. Justamente por isso, me apego muito mais ao gosto do público.

Dessa forma, consultando o IMDb, Vidro recebeu a satisfatória nota 6,8/10. Sendo um thriller dramático com elementos de ficção científica, é uma nota bastante boa.

Com um pouco de esforço, podemos acompanhar o que a audiência achou. E, sinceramente, concordo totalmente.

Vidro é um filme lógico, bem escrito e com um plot twist impressionante. Foge categoricamente do clichê de filmes de heróis. Nolan, diretor da trilogia Batman com Bayle, vem à mente ao assistir.

Por tudo isso, se você gosta de pensar em realidades alternativas, deve assistir a Vidro.

E, caso não tenha visto os anteriores da sequências, se apresse! Só não cometa o erro de não conhecer Corpo Fechado. Isso irá acabar com sua experiência.

Assim que tiver assistido o filme Vidro, volte aqui e nos conte o que achou. Seu parecer é determinante para que sempre possamos trazer títulos novos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *