CAMPO REICHIANO
do Rio de Janeiro


 
Coordenadores / Informações / O Campo Reichiano
Projeto de Formação / Objetivos / Estrutura do curso / Ementas

 

Coordenadores

Henrique J. Leal F. Rodrigues:

  • Graduado em 

  • Geografia pela PUC-RJ e em 
    Psicologia pela USU-RJ
  • Pós-Graduando em Psicologia Clínica pela PUC-RJ
  • Formando do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro
  • Formado pelo Centro de Investigação Orgonômica Wilhelm Reich
  • CRP 05/24.113
Henrique Rodrigues

Pedro Vieira Castel:

  • Graduado em Psicologia pela PUC-RJ
  • Formado pelo Centro de Investigação Orgonômica Wilhelm Reich
  • Ex-coordenador do ICIOR - Hólon - RJ
  • Professor convidado do Curso de Pós Graduação em Psicoterapias Corporais do IBMR-RJ
  • CRP 05/4.533
Pedro Castel

 

Informações

Tel: (21) 2557-2994
Telefax: (21) 3204-9231
E-mail: hlfrodrigues@terra.com.br
 

O que é o Campo Reichiano do Rio de Janeiro?

O Campo Reichiano do Rio de Janeiro nasceu fruto da vivência acadêmica e teórica de pessoas que acreditam ser possível construir um espaço formativo mais amplo no campo da teoria, mais dinâmico na ordem da metodologia e mais ético na práxis clínica.

A pretensão, e este é o termo, é de ajudar a formar novos psicoterapeutas engajados nos movimentos sociais e que chamem para si a responsabilidade de serem éticos, qualificados e comprometidos com uma clínica que respeite as diferenças e proporcione a constituição de sujeito transformador no campo do desejo e do outro.

Para tal, o Campo Reichiano do Rio de Janeiro é transdisciplinar e aberto a informações que emanam de diversos campos do conhecimento e das muitas correntes corporais, mas se fundamenta e valoriza a teoria e o método de trabalho clínico e social desenvolvido por Wilhelm Reich. 

O saber no Campo Reichiano do Rio de Janeiro é o lugar das convergências e participações, da revitalização e do resgate do conhecimento como móvel da transformação do sujeito e da sociedade.

 

Projeto de Formação de Psicoterapeutas Reichianos

O curso de formação tem a duração de 3 anos, e a cada semestre, são oferecidas duas disciplinas obrigatórias, sendo, uma vivencial e a outra teórica. Com a intenção de complementação e ampliação do campo teórico e metodológico, diversas disciplinas eletivas são incorporadas semestralmente ao currículo da formação. A disciplina teórica é o suporte da disciplina prática, enquanto funciona como instrumento fundamental para a construção de uma prática clínica supervisionada em grupo.

Os alunos da formação são obrigados a completar um total de 90 créditos, ou seja, 450 horas de aula para se formar, organizados da seguinte forma:
 

64 créditos:  em disciplinas obrigatórias do núcleo central:  320 horas:
48 créditos 
das 12 disciplinas obrigatórias 
240 horas
04 créditos 
referentes aos dois módulos do 
Workshop de Sensibilização 
20 horas
12 créditos 
da elaboração da monografia 
60 horas
10 créditos obrigatórios do núcleo de disciplinas eletivas  50 horas
16 créditos  de estágio supervisionado, durante o período mínimo de dois semestres em um total de 80 horas
OBS.: Cada crédito equivale a 5 horas/aula

Em algumas das disciplinas do núcleo central há pré-requisito para cursá-las, sendo necessário cursá-las de acordo com a seqüência curricular.

As disciplinas eletivas estarão abertas ao público em geral como cursos avulsos, podendo ser freqüentadas por quem desejar cursá-las. Os alunos da formação terão desconto no valor destes, cursos.

O estágio supervisionado tem como atividades: atendimento clínico supervisionado; participação crítica e atuante nas políticas: de saúde, sociais, educacionais, ecológicas e sexuais; convênios com organizações governamentais e não governamentais; consultorias no campo das relações humanas e da qualidade de vida; elaboração de projetos; etc.

 

Objetivos

  • Desenvolver o senso clínico, em seu sentido amplo, a partir das possibilidades, limites e modo particular de ser de cada um.
  • Assimilar através da teoria e da vivência , as técnicas reichianas, pós-reichianas e neo-reichianas de psicoterapia. 
  • Desenvolver a capacidade de formulação de diagnóstico e prognóstico a partir do contato clínico com o paciente. 
  • Estudar a obra de Wilhelm Reich, sua clínica e a seus pressupostos teóricos e metodológicos. 
  • Incentivar os alunos em sua capacidade crítica na assimilação do conhecimento adquirido. 
  • Desenvolver um compromisso com a transformação do ser humano e da sociedade em que vive, a partir da discussão da teoria social construída por Wilhelm Reich.
 

Estrutura do curso


 

Ano I - 1º semestre 

  • Workshop de sensibilização 

  • (um no início e outro no final do 1º semestre)
  • Introdução ao pensamento de Wilhelm Reich
  • Fundamentos psicanalíticos da clínica reichiana

Ano I - 2º semestre

  • Prática de 1ª entrevista, diagnóstico e prognóstico no processo clínico reichiano 
  • Teórico de análise do caráter 

Ano II - 1º semestre

  • Prática de análise do caráter I
  • Estudos do caráter (Reich, pós-reichianos e neo-reichianos)

Ano II - 2º semestre

  • Prática de análise do caráter II
  • Teórico das técnicas de vegetoterapia I

Ano III - 1º semestre

  • Prática de vegetoterapia I
  • Teórico das técnicas de vegetoterapia II

Ano III - 2º semestre

  • Prática de vegetoterapia II
  • Prática de vegetoterapia III
  • Apresentação de monografia

 

Resumo das Ementas de disciplinas obrigatórias

 1. Workshop de Sensibilização
 2. Introdução ao pensamento de Wilhelm Reich
 3. Prática de 1ª Entrevista e Atendimento
 4. Fundamentos Psicanalíticos da Clínica Reichiana:
 5. Prática de Análise do Caráter I e II:
 6. Teórica de Análise do Caráter
 7. Estudos do Caráter
 8. Prática de Vegetoterapia
 9. Teórico de Vegetoterapia I
10. Teórico de Vegetoterapia II
11. Monografia
 
 
 

1. Workshop de Sensibilização:

  • Mobilizar, através de diversas técnicas, as possibilidades sensitivas e /ou perceptivas dos alunos.
  • Ampliar o contato do aluno consigo mesmo e com o outro.
  • Pontuar em caso de necessidade os entraves que impedem o contato terapêutico (objetivo didático).
  • Incentivar a sociabilidade do grupo.

2. Introdução ao pensamento de Wilhelm Reich:

  • Contextualizar o momento histórico, filosófico e cultural da Europa no início da produção teórica de W. Reich.
  • As preocupações sexológicas, o encontro com a psicanálise e os primeiros escritos.
  • A função do orgasmo no prognóstico terapêutico e na vida em geral.
  • As políticas sexuais: a visão revolucionária de W. Reich (SEXPOL). 
  • Desenvolvimento da prática clínica: a análise do caráter, a formação, a tipologia e a dinâmica caracterial . Estudo de casos clínicos.
  • O contexto histórico, filosófico e cultural de Reich nos EUA.
  • Introdução do neuro-vegetativo e a valorização do energético em Wilhelm Reich.
  • Reich: as atualizações e perspectivas.

3. Prática de 1ª Entrevista e Atendimento:

  • Orientar o aluno sobre o processo de entrevista e contrato.
  • Apontar e instrumentalizar a queixa do paciente, seja explícita ou implícita.
  • Diferenciar queixa de demanda.
  • Detectar as contradições do conteúdo no discurso do paciente com suas formas expressivas. 
  • Diagnósticos e prognósticos iniciais.
  • O processo de estruturação do vínculo terapêutico.
  • Construção do processo de entrevista, anamnese e contrato.
  • Particularidades do contrato: a importância da família, em particular no atendimento em pacientes adolescentes e crianças.

4. Fundamentos Psicanalíticos da Clínica Reichiana:

  • Conceitos clínicos psicanalíticos fundamentais para a práxis clínica reichiana
  • Diferenciação teórica e construção clínica do manejo da transferência e contratransferência.
  • A importância da "queixa" e da "demanda", e seus desdobramentos no processo terapêutico.

5. Prática de Análise do Caráter I e II:

  • Capacitar o aluno na percepção dos traços de caráter e suas articulações.
  • Habilitar os alunos em suas intervenções, visando trabalhar no paciente a consciência, o modo de ação e a função defensiva de seu traço.
  • Manejar a transferência e a contra transferência.
  • Instrumentalizar os traços de caráter, do psicoterapeuta, no trabalho clínico.
  • Diagnosticar e diferenciar o caráter principal dos traços de caráter secundários.
  • Usar o espelhamento como interpretação.

6. Teórica de Análise do Caráter:

  • Definição do conceito de caráter em Reich.
  • Constituição da análise do caráter: a necessidade de organizar a técnica psicanalítica. 
  • A técnica da análise do caráter. 
  • A barreira narcísica. 
  • A transferência na técnica do caráter. 
  • O trabalho com a transferência negativa. 
  • Sublimação, formação reativa e base de reação neurótica. 
  • Contato e contato substituto. A gênese do caráter. 
  • A 2ª tópica freudiana e o caráter genital versus caráter neurótico.

7. Estudos do Caráter 
(Reich, pós-reichianos e neo-reichianos)

  • Os primeiros esboços psicanalíticos a respeito do caráter (Freud, Adler, Abraham etc). 
  • O conceito de caráter em Reich. 
  • Os tipos de caráter descritos por Reich: histérico, compulsivo, fálico-narcisista, passivo-feminino, impulsivo e masoquista. 
  • A cisão esquizofrênica. 
  • Contribuições pós e neo-reichianas a tipologia e dinâmica caracterial: Baker, Lowen, Navarro, Keleman, Boyesen etc.

8. Prática de Vegetoterapia 
I, II e III

a. Objetivos da vegetoterapia do emergente:
  • Detectar as expressões biofísicas dos traços de caráter e do conflito emocional subjacente a estes.
  • Habilitar, praticamente, para intervenções nas couraça do paciente.
  • Operacionalizar a dissolução da couraça: o acirramento e o abrandamento.
  • Desenvolver o trabalho reichiano sobre o "expressivo".
b. Objetivos da vegetoterapia dos actings:
  • As "mobilizações vegetativas" (actings) sistematizadas por Navarro.
  • Outras "mobilizações vegetativas" (inclusive as da bioenergética).
  • O trabalho com lanterna.
c. Objetivos da vegetoterapia da massagem:
  • Habilitar o aluno nas leituras corporais: postural, respiratória, ancoragem neuro-vegetativa, couraça muscular etc.
  • Diferenciar a prática da massagem em geral da massagem desenvolvida no setting psicoterapêutico.
  • Construir uma estratégia e uma tática no atendimento individual.
  • Diferenciar o toque emocional e o toque mecânico.
  • Acirrar e abrandar as couraças biofísicas.
  • Diferenciar o trabalho superficial do profundo.
  • Habilitar o aluno na massagem de contorno (maternagem ou holding).
  • Conhecer as diversas técnicas para cada segmento corporal.
  • Informar sobre técnicas complementares em outras abordagens.
d. Objetivos da integração da articulação das técnicas clínicas: 
  • Integrar as técnicas da análise do caráter e da vegetoterapia numa práxis única.
  • Consolidar os conceitos de contato, campo energético, e sensação de órgão na prática psicoterapêutica.
  • Aprofundar a visão da psicoterapia enquanto processo, com sua estratégia geral e intervenções circunstanciais.

9. Teórico de Vegetoterapia I :

  • A potência orgástica e o reflexo do orgasmo. 
  • A couraça biofísica. 
  • O conceito de contato. 
  • A disposição segmentar. 
  • O pulsar: contração e expansão. 
  • O sistema nervoso autônomo: parassimpático e simpático. 
  • As correntes vegetativas: o desfazer das couraças. 
  • O movimento plasmático: sensação e emoção
  • A descrição biofísica das emoções. 
  • Os princípios técnicos da vegetoterapia. 
  • A respiração e sua importância terapêutica. 
  • Estudos de casos.

10. Teórico de Vegetoterapia II:

  • O objetivo dessa disciplina é dar 1uma visão panorâmica das práticas psicoterapêuticas, em particular aquelas que trabalham diretamente o corpo, ou o incluindo:
  • Gestalt, Bioenergética, Biodinâmica, Biossíntese, Psicodrama, Rolfing etc.
  • Construir um saber crítico para a discussão da orgonoterapia.

11. Monografia:

  • Esta é uma disciplina que se constituirá, a princípio, uma aula expositiva sobre a normatização padrão das monografias de pós-graduação. 
  • O aluno escolherá um tema objetivando o seu desenvolvimento no decorrer do curso e será orientado por um dos coordenadores do Campo Reichiano, tendo liberdade de escolher um orientador externo, caso seja necessário para o desenvolvimento de seu trabalho. 
  • Ao final do curso a monografia será apresentada por escrito e oralmente. 

 

Web page  elaborada por José Guilherme Oliveira


Este site está cadastrado nas páginas do ORGONizando, um pólo de intercâmbio em psicoterapia corporal.
ORGONizando